Você está preparado para este inverno?

postado em: Blog | 0

Um dos piores inimigos dos motociclistas, principalmente quando nos aproximamos do inverno, é o vento gelado. Além de ser desconfortável dirigir no frio, existe também a insegurança, pois, com as mãos e pés congelados, a movimentação e os reflexos ficam comprometidos. E essa sensação de estar com os membros travados é capaz de prejudicar na hora de frear ou ao desviar de imprevistos.

De modo geral a hipotermia (quando a temperatura do corpo cai abaixo dos 35°C) causa tremores, lentidão de reflexos, espasmos musculares, além de confusão mental. Isso sem considerar situações extremas onde a temperatura externa pode chegar à até -10 ºC, e nesses casos existe até o risco de congelamento de membros. Entramos em uma espécie de “modo de emergência”, onde o nosso organismo procura preservar os órgãos internos vitais (coração, pulmões, fígado…) “roubando” sangue das extremidades do corpo.

Na tabela abaixo é possível acompanhar a variação térmica de acordo com a temperatura externa e velocidade do motociclista:

 

Apesar dos empecilhos causados pelas baixas temperaturas, é possível rodar muitos quilômetros, mesmo em regiões muito frias. O uso da segunda pele é um grande aliado para proteger o seu corpo e garantir uma aventura prazerosa.

Para os pés o ideal é o uso de botas com o cano longo e colocar a calça por dentro dela, evitando que entre vento gelado pela barra da calça (uma meia de tecido térmico ou uma polaina ajudam também, mesmo se sua bota for de cano curto). O uso de uma meia impermeável (neoprene) pode ser bem interessante e viável, principalmente se você pegar algum trecho com chuva, o que geralmente nos deixa com os pés molhados.

Nas mãos o cuidado é redobrado pois, se de por um lado uma luva grossa garantiria uma temperatura estável, por outro ela poderia prejudicar a sensibilidade e firmeza ao segurar o guidão. Algumas motos possuem aquecedor de manopla para ajudar contra o frio, mas sempre é bom fazer uso de uma luva segunda pele sob uma luva impermeável – sempre atento à questão da sensibilidade aos comandos na moto.

Para o dorso e pernas a dica é também fazer uso de segunda pele sob o conjunto de blusa e calça impermeáveis. Pode-se adicionar uma blusa de lã fina sobre a segunda pele em temperaturas mais rígidas. 

A balaclava é outro acessório indispensável ao motociclista, pois além de seu pescoço e orelhas ela mantém toda a sua cabeça aquecida. Vista ela e prenda dentro de sua jaqueta. Além de que, o uso da balaclava durante o todas as estações do ano é recomendado para evitar que o forro interno de seu capacete fique muito sujo devido ao suor e garanta uma melhor higienização do seu capacete, prolongando a vida útil da parte interna dele.

Em nome do conforto e principalmente da segurança em suas aventuras, investir em trajes específicos capazes de encarar uma grande variação na temperatura é o ideal e a Touratech pode te ajudar.

Oferecemos uma ampla linha de segunda pele da Curtlo, para todo tipo de necessidade. 

 

Ficou na dúvida de qual modelo é a segunda pele ideal para suas aventuras? Entre em contato conosco!

 

Deixe uma resposta